quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Dr. Dráuzio Varella explica porque gays não podem doar sangue.

gays-doar-sangueConforme ele explica no vídeo abaixo, isso é um resíduo preconceituoso. Pois hoje em dia, não existe grupo de risco (DSTs não é exclusivo dos homossexuais). O que existe é comportamento de risco.



Por isso, o projeto Igualdade na Veia esta juntando assinaturas para acabar com esse preconceito. Existe muitos homossexuais sadios, sem doenças, com parceiros fixos e que poderiam doar sangue sem nenhum tipo de problema. Já publicamos a reportagem aqui, se você não viu, segue o link:


http://homossexualidade.org/projeto-igualdade-na-veia-assine-a-peticao/

Esse preconceito tem que acabar!

Curta nosso projeto!


Curta nossa página no Facebook, siga-nos no Twitter e, principalmente, receba notícias por e-mail.

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Drag Lorelay Fox fala sobre o término da família tradicional brasileira

familiatradicinalbrasileira-

Drag Lorelay Fox fala sobre o término da família tradicional brasileira: com inteligência, bom humor e muita informação. Exatamente o que o bacharel em psicologia Fabrício Viana fala no seu livro sobre a homossexualidade "O Armário":



"Compramos e tentamos reproduzir uma imagem da família perfeita. Porém, famílias perfeitas não existem. Se uma família, grupo ou pessoa se apresenta socialmente certinha, a todo o momento, algo de muito obscuro provavelmente é escondido. Felizmente, o desenho dos Simpsons foi a primeira aparição pública em larga escala para mostrar a família como de fato é: imperfeita, cheia de conflitos e nem sempre tão estruturada como gostaríamos." (Fabrício Viana)

Assista ao vídeo e compartilhe!


Curta nosso projeto!


Curta nossa página no Facebook, siga-nos no Twitter e, principalmente, receba notícias por e-mail.

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Filmes LGBT brasileiros serão exibidos na Biblioteca Mario de Andrade

filmeslgbtO projeto é assinado pelo escritor e jornalista Lufe Steffen, que selecionou 20 produções que serão apresentadas na biblioteca em São Paulo durante três dias: 1, 2 e 4 de fevereiro.

A ideia foi inspirada no livro "O cinema que ousa dizer seu nome", de sua autoria. A publicação foi uma das obras contempladas no ProAC LGBT de 2014.

Entre as produções estão Café com Leite (2006), Jiboia (2010), Felizes para Sempre (2009), entre outros. Lufe e alguns direitores já deixaram claro que estarão presentes no evento.

Confira a programação (confirme antes, pode sofrer alterações):

Programa I (dia 1/02)
Os Clubbers Também Comem (1999, 10′, direção Lufe Steffen)
Pencas de Bicuda (2001, 6′, direção Dacio Pinheiro)
A Mona do Lotação (2002, 6′, direção Eduardo Mattos & Daniel Ribeiro)
As Fugitivas (2007, 13′, direção Otavio Chamorro)
Amanda & Monick (2008, 19′, direção André da Costa Pinto) Felizes para Sempre (2009, 8′, direção Ricky Mastro)
Café com Leite (2006, 18′, direção Daniel Ribeiro)
Os Sapatos de Aristeu (2008, 17′, direção René Guerra)
Duração: 1h37

Programa II (2/02)
Bailão (2009, 16′, direção Marcelo Caetano)
Jiboia (2010, 18′, direção Rafael Lessa)
Chapô (2012, 23′, direção Eduardo Mattos)
Um Diálogo de Ballet (2012, 8′, direção Filipe Matzembacher & Marcio Reolon)
Leve-me para Sair (2012, 19′, direção José Agripino) Homem Completo (2012, 15′, direção Rui Calvo)
Duração: 1h39

Programa III (4/02)
O Pacote (2012, 18′, direção Rafael Aidar)
Filme para Poeta Cego (2012, 25′, direção Gustavo Vinagre) Estudo em Vermelho (2013, 16′, direção Chico Lacerda)
O Melhor Amigo (2013, 18′, direção Allan Deberton)
Antes de Palavras (2013, 13′, direção Diego Carvalho Sá)
O Clube (2014, 17′, direção Allan Ribeiro)
Duração: 1h47


Curta nosso projeto!


Curta nossa página no Facebook, siga-nos no Twitter e, principalmente, receba notícias por e-mail.

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Psicologia: Livro sobre a homossexualidade faz 10 anos

escritor-lgbtEm 2016, o livro sobre a homossexualidade chamado O Armário, que aborda os processos psíquicos sobre a “entrada e a saída do armário”, do escritor e bacharel em psicologia Fabrício Viana (foto ao lado), completa 10 anos de existência.


Publicado de forma independente, Viana enfatiza que escreveu o livro com uma linguagem simples, abordando os principais tópicos do tema como a história da homossexualidade, origem do preconceito científico e religioso, dinâmica psicológica do machismo e até mesmo a homofobia internalizada.




Existem muitos livros sobre a homossexualidade. Eu senti falta de um livro simples, didático, orientado não só aos homossexuais que estão dentro do armário mas também para professores, pais, psicólogos e outros profissionais que gostariam de entender mais sobre o tema. Felizmente consegui. O livro é um sucesso e hoje, tornou-se um dos mais conhecidos e respeitados sobre o tema”, enfatiza Viana.



livro-homossexualidadeJá na sua quarta edição, e com mais de 4 mil exemplares vendidos ao longo destes anos, o livro faz parte do catálogo da Editora Orgástica, uma micro editora brasileira focada em diversidade sexual e “literatura LGBT”.




“Eu escrevi o livro O Armário por necessidade. Sempre soube que o assunto era muito pouco discutido de forma aberta e com uma linguagem mais acessível. Hoje, após 10 anos, mesmo a mídia falando mais a respeito, o preconceito e a desinformação é mesmo muito grande. Meu livro serve para todos, até mesmo para quem é assumido, pois trata de assuntos importantes como a homofobia internalizada, que mesmo quem é assumido precisa eliminar.”, continua o autor.



Além do livro O Armário, Fabrício Viana gostou tanto da ideia de escrever que publicou mais livros com temática LGBT, como o “Ursos Perversos” (contos eróticos gays), “Orgias Literárias da Tribo” (uma premiada coletânea de contos, poesias e crônicas não eróticas do universo LGBT, premiada duas vezes em 2015) e seu recente sucesso chamado “Theus. Do fogo à busca de si mesmo” (romance com temática gay de 196 páginas).




“Quando escrevi O Armário, muitos leitores pediram para continuar escrevendo. Como gosto de literatura erótica, lancei o Ursos Perversos. Depois organizei a coletânea Orgias Literárias da Tribo com 10 autores fantásticos. Meu ultimo trabalho é o romance Theus que, pela primeira vez, me assusta! Quase todos os leitores, ao terminar de ler o Theus, me escrevem chorando dizendo que ficaram profundamente abalados. E me agradecem por isso. É incrível”, finaliza Viana.



Tanto o livro O Armário, quanto seus outros livros, não são vendidos em livrarias. A única forma de comprar os livros de Fabrício Viana é visitando o site da Editora Orgástica, no endereço http://www.editoraorgastica.com


Para contato direto do autor, ele usa as redes sociais:


Facebook http://facebook.com/fabricioviana.escritor
Twitter: http://twitter.com/fabricioviana
Instagram: http://instagram.com/fabricioviana.sp


Serviço:


Livro O Armário. Sobre a homossexualidade.
144 páginas. Formato 14x21cm.
4ª edição pela Editora Orgástica.
http://www.editoraorgastica.com


Curta nosso projeto!


Curta nossa página no Facebook, siga-nos no Twitter e, principalmente, receba notícias por e-mail.

5 Livros LGBT que você precisa ler!

livros-lgbtSe você gosta de literatura LGBT, confira os 5 livros LGBT que você precisa ler produzido pelo blog Gay Casado.


Na lista você encontra diversos títulos interessantíssimos, inclusive o do escritor e bacharel em psicologia Fabrício Viana chamado Theus. Do fogo à busca de si mesmo.



Gostou? O livro Theus. Do fogo à busca de si mesmo você encontra no site da editora LGBT chamada Editora Orgástica. Eles entregam para todas as regiões do Brasil. Se você quiser, também tem a versão em e-book, vendido na Amazon.


Boa leitura. E indique este post aos amigos. Vamos incentivar a literatura e livros LGBT!


Curta nosso projeto!


Curta nossa página no Facebook, siga-nos no Twitter e, principalmente, receba notícias por e-mail.

sábado, 9 de janeiro de 2016

Pastor ex-gay tem recaída e troca a esposa pelo cunhado!

exgaySegundo o site Insoonia, um homem de 36 anos separou-se de sua mulher para se casar com o cunhado de 38 anos. O caso aconteceu em Cacoal, cidade de Rondônia. Flávio Birschiner estava casado há dois anos, até aparecer Pedro Siqueira.

Pedro era pastor da comunidade de Jardim Clodoaldo. Em seus testemunhos dados à comunidade, se apresentava como ex-homossexual, dizendo que tudo era obra do espírito santo. Embora seja um caso isolado na cidade, casos deste tipo, envolvendo religiosos, ex-gays e ex-pastores ou até mesmo padres são bem comuns para os estudiosos da homossexualidade.




"No meu livro O Armário, sobre a homossexualidade, cito alguns grupos e casos assim. São muito comuns. Mesmo porque a sexualidade humana é algo mutável. Existe inclusive uma vasta literatura sobre isso, que também cito no meu livro: de pastores que eram ex-gays e depois viraram gays novamente!", enfatiza Fabricio Viana, bacharel em psicologia e estudioso do assunto.




Ana Paula, a ex-esposa, citada na matéria, já suspeitava do marido. Porém, a briga agora é pela guarda dos filhos do casal. Segundo Flávio, é melhor o filho ser criado pelo pai e pelo tio, do que por uma mãe solteira.


Curta nosso projeto!


Curta nossa página no Facebook, siga-nos no Twitter e, principalmente, receba notícias por e-mail.