segunda-feira, 23 de junho de 2014

Entrevista sobre livros com temática homossexual.

literatura-lgbt-fabricioviana-escritor-gay

Para quem não sabe, saiu minha entrevista na revista Bear Mais Magazine n76, com 8 páginas, pelo editor Marcelo Gomes de Andrade sobre Literatura GLS (livros com temática homossexual) e meus trabalhos. A revista? Tem 118 páginas (a edição gratuita para download) e para quem tiver interesse, a versão paga vem com um ensaio delicioso e exclusivo do Brunão - Urso Jogador. Lembrando que a Bear Mais Magazine é a principal revista brasileira direcionada à comunidade ursina (gays grandes, peludos e ou barbados).


Para ler a minha entrevista e também outras matérias, visite este endereço:
http://goo.gl/AvqRFd


Depois me diga o que achou. E se tiver interesse, me siga no Twitter: Fabrício Viana

terça-feira, 10 de junho de 2014

Sobre o sexo bareback gay: sexo sem camisinha.

o-que-e-bare-bareback-sexogay

Se você é gay e já te perguntaram se você curte bare, bareback ou BB e ficou "perdido", o escritor aqui explica: é o sexo praticado sem camisinha. Ou como também dizem, é o sexo praticado "no pelo" - sem borracha, pelo com pelo, entre outras expressões.


Embora heterossexuais também transem, e muito, sem camisinha, a expressão "bareback" veio dos EUA. A tradução livre é "cavalgar sem cela", porém, ela foi "aportuguesada" pelos gays brasileiros para designar o "sexo natural", sem preservativo. O que muitos não sabem é que, lá fora, a prática do bareback é mais ritualística: o tesão esta principalmente em contaminar ou ser contaminado, com doenças sexualmente transmissíveis (em especial o HIV). Aqui no Brasil, embora muitos gays usem essa expressão "eu curto bareback" ou simplesmente "BB", são poucos os que, de fato, tem essa intenção ritualística (de contaminar ou ser contaminado). Eu suspeito que a maioria usa o termo simplesmente para dizer que não gostam de transar com camisinha. Mas cada um é cada um.


Já os heterossexuais não. Eles não tem esse "termo" para identificar seus adeptos, embora saibamos que até jogadores de futebol pagam mais caro prostitutas em festas caso elas topem em transar sem camisinha. Alias, se quiser, assista a esta entrevista: Orgias no Futebol Brasileiro feita pelo Fantástico (Rede Globo).


Se existem riscos na prática do sexo sem preservativo? Claro que existe! Porém, você pode transar com vários e não pegar nada e sair apenas com uma pessoa e se contaminar. Tudo é possível. Mas o risco é sempre seu. Se você é um adepto, saiba que tem consequências e, se não, nunca acredite ou confie no outro. Se você topar transar sem preservativo com alguém e pegar algo, a responsabilidade é sempre sua. Jamais culpe o outro. Você é responsável pelo seu corpo (cito isso em uma das histórias do meu livro de contos eróticos Ursos Perversos).


Para finalizar, eu, particularmente, não discrimino ninguém, nem heterossexuais e nem homossexuais, que praticam o tal "sexo no pelo". Cada um é livre para seguir seu prazer da melhor forma possível, desde que tenha ciência das consequências e faça testes periódicos: já tive amigos que morreram simplesmente por nunca terem feito o teste e acharem que estavam bem. Se eles tivessem descoberto e tomado remédio, estariam muito bem até hoje. Lendo inclusive este post. O assunto é bem polêmico e eu não tenho a intenção de alongar-me. Só postei aqui porque vejo isso com frequência nos aplicativos de caça no celular, categorias em sites de vídeos pornográficos e perfis de pegação em sites gays e não tinha nada no search do Google. Em breve explicarei outras expressões, como "hora do chá" ou 4i20 (4:20, 420, etc).


Curiosos? Aguardem!

sábado, 7 de junho de 2014

Sexóloga fala sobre Livros GLS e a Editora Orgástica

literatura-LGBT-com-psicologa-sexologa-rose-villela
Nesta semana tive o prazer de ser entrevistado no programa da psicóloga e sexóloga Rose Villela sobre Literatura LGBT. O programa, uma webtv produzida pela TVGeraçãoZ com exibição na TVTUOL teve a duração de 20 minutos e foi um verdadeiro sucesso. Sem falar que a Rose é uma pessoa bastante antenada e até sobre a Ursound, famosa festa de ursos (gays gordinhos), ela estava familiarizada.


Sobre o que falamos? Conversamos sobre a Literatura LGBT, sobre meus livros, sobre a Editora Orgástica (focada em Literatura LGBT e Diversidade Sexual) e outros temas interessantíssimos, como o documentário que estou produzindo sobre "Relacionamento Aberto". Quem perdeu a exibição ao vivo pode assistir abaixo.


Ou ainda neste endereço dentro do Youtube: Literatura LGBT com a psicóloga e sexóloga Rose Villela.


.





.

Se você gostou e quiser comprar meus livros, visite o site da Editora Orgástica:
www.editoraorgastica.com


.