segunda-feira, 31 de maio de 2010

03/06 - Bistrot Piaf promove noite de autógrafos!

piaf


Bistrot Piaf recebe nessa quinta feira 03/10 a partir das 18:00 horas a escritora Marli Porto com seu romance gay Uma Luz para Davi e Anita Costa Prado, com a revista de quadrinhos lésbicos "O Preconceito é um dragão"

Serviço

Local: Bistrot Piaf
Horário: 18hs
Alameda Franca, 303 - São Paulo/SP

Convite para a cerimônia de posse do Conselho Municipal de Atenção a Diversidade Sexual de São Paulo.

dindry-buck


Dia 02/06 tem a cerimônia de posse no Conselho Municipal de Atenção a Diversidade Sexual de São Paulo, onde foram eleitos seus representantes:

Lésbicas: Débora Pereira e Hannah Korich
Gays: Dário Ferreira e Douglas Drumond
Bissexuais: Andre Pomba e Beto Sato
Travesti: Miriam Queiroz
Transexual: Thais Souza
Transgenero: Dindry Buck

Para participar, ligue 3113-9749 ou mande e-mail para cads@prefeitura.sp.gov.br

É isso ai! Parabéns para todos os eleitos! :-)

domingo, 30 de maio de 2010

Vídeo da Feira da Diversidade Sexual em Santo André...



O audio do vídeo ficou zuado. Mesmo assim resolvi subir algumas imagens da Feira da Diversidade Sexual em Santo André que aconteceu neste sábado (25/05). Parabéns ao Marcelo Gil e a Ong ABCDs! A Drag vencedora levou R$ 1.000,00 pra casa! :-)

quinta-feira, 27 de maio de 2010

01/06 - Irineu Ramos autografa seu livro A TV NO ARMÁRIO.

a-tv-no-armario-livroAs Edições GLS e a Livraria Cultura Conjunto Nacional (SP) promovem no dia 1º de junho (terça-feira), das 18h30 às 21h30, a noite de autógrafos do livro A TV no armário, do professor e jornalista Irineu Ramos Ribeiro. Fruto de ampla pesquisa sobre a cobertura dada pela TV à questão da homossexualidade, a obra revela como as emissoras ainda se pautam pelo preconceito. Ao mergulhar nesse universo, o autor analisa a programação das emissoras e mostra a dificuldade e os equívocos que ocorrem quando precisam lidar com as diferenças sexuais na TV. O evento acontece no piso térreo da livraria, que fica na Av. Paulista, 2073

Na obra, o autor analisa diversos aspectos do tratamento dado aos gays na programação humorística, em telejornais e em novelas, demonstrando as diversas formas pelas quais o preconceito é estimulado. Baseando-se no pensamento de Michel Foucault e noções da teoria queer, ou teoria do estranhamento, o autor comprova que a televisão brasileira acaba transmitindo valores negativos, depreciativos e caricatos no que se refere aos gays. “Está na hora de mudar de rumo”, afirma Ribeiro, lembrando que a mídia tem um papel determinante na formação de identidade.

O autor discorre sobre o limiar dos gêneros, abordando questões como ambiguidade, identidade, sexualidade e formas de pensar. Fala sobre o desenvolvimento das identidades sexuais “proscritas” no decorrer do século XX e as relações de poder na mídia televisiva. Faz um breve histórico do movimento homossexual no mundo e de algumas de suas lutas até chegar à década de 1970, quando o gênero passa a ter uma conotação social ampla. “O conceito de gênero se refere à construção social e cultural que se organiza a partir da diferença sexual”, revela o autor.

O livro traz ainda um breve relato histórico do surgimento da TV no Brasil e o levantamento da cobertura jornalística televisiva da Parada do Orgulho Gay de São Paulo. Em seguida, o autor examina alguns programas humorísticos que tratam o gay com escracho, um game show que perde a oportunidade de esclarecer que a diferença é saudável e uma novela que acaba apelando para o sentimentalismo na hora de retratar o amor homossexual. “Procuro demonstrar as sutis abordagens em que o preconceito é estimulado e impede a existência de um mundo onde a diferença seja respeitada”, explica o autor.

“Ribeiro tem a rara capacidade de expor as inclinações preconceituosas e reforçadoras de preconceitos que as emissões de TV disseminam em relação aos homossexuais sem cair na tentação de enxergar nisso uma conspiração dos setores dominantes da sociedade. Ele entende a dinâmica da indústria cultural e não a acusa de intenções diabólicas”, afirma Carlos Eduardo Lins da Silva, ex-ombudsman da Folha de S.Paulo, que assina o prefácio da obra.

O autor

Irineu Ramos Ribeiro é jornalista formado pela Universidade Católica de Santos (UniSantos), pós-graduado em História pela mesma instituição e mestre em Comunicação pela Universidade Paulista (Unip). É membro do Centro de Estudos e Pesquisa em Comportamento e Sexualidade (CEPCoS), organização não governamental ligada às questões de gênero e sexo. Integra ainda o Grupo de Estudos “Estética, Mídia e Homocultura” da Universidade de São Paulo (USP). Apresenta trabalhos acadêmicos em diversos congressos e simpósios nacionais e é palestrante da Coordenadoria de Assuntos da Diversidade Sexual (Cads), órgão vinculado à Secretaria de Participação e Parceria da Prefeitura de São Paulo, no qual desenvolve trabalhos de capacitação nas questões de gênero, sexualidade, mídia e educação com professores da rede pública.

Livro

Título: A TV no armário – A identidade gay nos programas e telejornais brasileiros
Autor: Irineu Ramos Ribeiro
Editora: Edições GLS
Preço: R$ 31,90
Páginas: 134
ISBN: 978-85-86755-57-6
Atendimento ao consumidor: 11-3865-9890
Site: www.edgls.com.br

Serviço

Noite de autógrafos do livro A TV NO ARMÁRIO
Autor: Irineu Ramos
Data: 01/06/2010 as 18:30h
Local: Av. Paulista, 2073

29/05: Anita Costa Prado, Marli Porto e Mariângela Bittencourt



Livraria HQMIX e a Editora Marca de Fantasia convidam para o lançamento da revista de quadrinhos "Katita - O Preconceito é Um Dragão", de Anita Costa Prado e Ronaldo Mendes no dia 29 de maio, as 19 horas e 30 minutos.

Na mesma noite, Mariângela Bittencourt vai lançar a 2ª edição do fanzine "Cirilo Rasga Beiço" e Marli Porto estará autografando "Uma Luz Para Davi".

Serviço:

Data: 29/05/2010
Horário: 19h30
Local: Livraria HQMIX: Pça Roosevelt, 142 - Centro - São Paulo - SP

Comunidade LGBT entregará praça revitalizada para o Centro de SP.

praca-darcy-penteado



A praça que homenageia Darcy Penteado (1926 - 1987), importante pintor, figurinista, coreógrafo, dramaturgo e ativista homossexual será totalmente revitalizada para os paulistanos no dia 29 de maio de 2010.

A iniciativa é uma parceria inédita, que conta com a colaboração da Secretaria de Participação e Parceria, Subprefeitura da Sé, Viva o Centro, Ação Local Ipiranga I, Coordenadoria de Assuntos de Diversidade Sexual, Conselho de Atenção à Diversidade Sexual e a casa noturna Love Story, farão o replantio e a conservação da praça.

O mutirão organizado pela comunidade LGBT trabalhará voluntariamente, limpando e plantando cerca de 2 mil mudas para presentear o centro da cidade com uma nova e reurbanizada Praça Darcy Penteado. A ação faz parte das comemorações do mês do Orgulho LGBT e acontece no sábado a partir das 9h.

A inauguração está prevista para acontecer às 14h com a presença de artistas, personalidades, autoridades e as famosas drags de São Paulo que irão animar os voluntários durante todo o dia.

Quem quiser colaborar, será bem vindo. Faça parte dessa ação que tem como objetivo a conscientização ambiental e a construção de uma cidade mais inclusiva com a diversidade.

Serviço:

Dia 29/05/20010 - Início as 14hs
Av. Ipiranga com Major Sertório (em frente ao edifício COPAN)

Filme Bailão, de Marcelo Caetano, estréia hoje em São Paulo!

bailao-abcbailao-filme



É hoje, entrada franca em SP de um vídeo que nasceu premiado! Segue texto do amigo Ricardo Aguieiras (que terá um trio na Parada de São Paulo chamado "Gays Idosos também são muito Gostosos" - E alguns são mesmo!! kkk E é claro que eu estarei lá para prestigiar!!):

"Bailão, o belo curta – e já muito premiado! ( http://filmebailao.wordpress.com/) – que participei com depoimentos, terá sua pré-estréia em  São Paulo, no Espaço Unibanco Augusta e eu adoraria ter a presença de tod@s! Será no dia 27/05, quinta-feira, às 21:30 horas, entrada franca,  na Sala 4. Marcelo Caetano, ele é o talentoso diretor que saiu percorrendo Sampa e traçando paralelos entre os sentimentos dos gays idosos entrevistados e a essência da cidade. Trata-se de preservação da memória da homossexualidade e de um novo olhar, em profundidade,  aos que ajudaram a construir a nossa história. Ele já havia dirigido um outro curta premiado “A Tal Guerreira” sobre a grande cantora já falecida, Clara Nunes.  Para contar a história, o diretor acompanhou um grupo de umbandistas de Sorocaba, que cultua Clara com romarias anuais a seu túmulo. Eles também conservam um templo colorido em sua homenagem. Em paralelo, o vídeo acompanha uma travesti que incorpora a cantora em uma boate gay. O diálogo entre o Templo e a travesti é o fio condutor da produção. Tive grande prazer em colaborar com o filme Bailão, contando das minhas experiências de vida, do início da militância no Grupo Somos, em 1978, mostrando os antigos (alguns que nem existem mais, tristemente…) lugares de frequência gay em Sampa, onde aconteciam as paqueras, as pegações e, por que não, o amor. Quantos relacionamentos que tive e presenciei começaram assim; sonhos e propostas de vida, queríamos revolucionar o mundo e, em parte, a gente se encantou e conseguiu, o arco-íris já é nosso mas não achamos ainda o pote de ouro. Revi pessoas que caminharam também nessa luta e também colaboraram com belos depoimentos, sobreviventes de umas época onde sonhar ainda era possível. O ápice do filme é uma festa na boate ABC BAILÃO, que fica na rua Marquês de Itú, aqui em Sampa, boate essa que acompanhou e ajudou a fazer toda essa caminhada, desde quando era chamada simplesmente de “HS”, uma abreviatura de “homo sapiens”. Neste triste país, infelizmente, a História é vilipendiada e a memória, além de não valorizada, é ainda estimulada para a queda no esquecimento. Isso no geral, imagine então o que ocorre com a Memória da Homossexualidade. Por isso, referenciais artísticas e criações como as de Marcelo Caetano são  imprescindíveis.  Levem a pipoca, seus olhares e corações para essa pré e depois me procurem. O Curta acaba de receber o Premio Cidadania, de melhor curta metragem, dado pela Associação da Parada – SP. Venham bailar com a gente!"

sábado, 22 de maio de 2010

I Feira da Diversidade Sexual em Diadema - 23/05/2010

I-Feira-Da-Diversidade-Em-Diadema-2010


Grito da Diversidade LGBT em Diadema. I Feira da Diversidade Sexual em Diadema. Participe! Shows de Silvetty Montilla, Suane, DJ D Boy, DJ André Turi e várias atrações... Pra quem vai de ônbius, pega algum que vai pro Terminal Diadema (do metrô Jabaquara sai alguns pra lá). A Praça da Moça fica próximo do Terminal Diadema de ônibus... ;-)

Data: 23/05/2010
Horário: Das 14h as 21h
Local: Praça da Moça - Diadema / SP
Realização: Ong Viva a Diversidade e Prefeitura de Diadema

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Fotos e vídeo da I Marcha contra a Homofobia em Brasília - 19/05/2010

I-Marcha-contra-a-Homofobia-011
A 1ª Marcha Nacional LGBT contra a Homofobia, realizada nesta terça-feira (19/05) em Brasília, reuniu cerca de 2.500 manifestantes - segundo a polícia - vindo de diversos estados brasileiros. O evento foi extremamente político (sem gogo boys, festa, música, etc) e cumpriu seu objetivo. Deu gosto ver que a Veja estava errada quando disse que a militância homossexual era assunto de pessoas com mais de 30 anos. Durante a Marcha tinha muitos jovens com bandeiras e cartazes e que ainda gritavam por leis e direitos.


Eu não sou mais jovem, mas um dia antes da viagem fiz questão de fazer um cartaz (foto acima) que vai contra o fundamentalismo religioso. É verdade, quem me conhece sabe que sou ateu mas, se "deus" existir, que ele perdoe parte de seu rebanho que condena e persegue - injustamente - os homossexuais, não aprovando as leis que garantem o seu bem estar dentro da sociedade. Fui muito elogiado durante o evento e hoje, ao ver o twitter e redes sociais, ele é um dos cartazes que mais "se espalha" na rede.

Eu só não gostei de duas coisas. Ter encarado a viagem de ônibus (é extremamente cansativo ir e voltar - ainda bem que a turma era super legal - adorei!! kkkk) e ter presenciado a equipe do Pânico na TV ser "expulsa" do evento. Os caras até que são bacanas e fazem um trabalho legal, mas não tinha nada a ver eles irem a uma manifestação extremamente política que luta contra a homofobia. O programa é de humor e a Marcha contra a Homofobia não tem nada de engraçada. Veja o vídeo que gravei abaixo.

Tirei muitas fotos. Todas estão no meu orkut e facebook (album fechado). Mas algumas resolvi dividir com vocês. Espero que gostem!






































Foto Primeira Marcha contra a Homofobia em BrasiliaFoto Primeira Marcha contra a Homofobia em Brasilia
Foto Primeira Marcha contra a Homofobia em BrasiliaFoto Primeira Marcha contra a Homofobia em Brasilia
Foto Primeira Marcha contra a Homofobia em BrasiliaFoto Primeira Marcha contra a Homofobia em Brasilia
Foto Primeira Marcha contra a Homofobia em BrasiliaFoto Primeira Marcha contra a Homofobia em Brasilia
Foto Primeira Marcha contra a Homofobia em BrasiliaFoto Primeira Marcha contra a Homofobia em Brasilia
Foto Primeira Marcha contra a Homofobia em Brasilia
Foto Primeira Marcha contra a Homofobia em BrasiliaFoto Primeira Marcha contra a Homofobia em Brasilia
Foto Primeira Marcha contra a Homofobia em BrasiliaFoto Primeira Marcha contra a Homofobia em Brasilia

O vídeo do Pânico é este aqui. É muita gritaria mas algumas coisas dá pra entender, como um dos jornalistas do Pânico dizendo que o trabalho é uma "brincadeira" mas que trará visibilidade positiva. Não sei como, mas ele prometeu fazer um trabalho legal. Vamos aguardar! :-)



Se quiser comentar também la no Youtube (já esta cheio de comentários, o link é http://www.youtube.com/watch?v=llhuPDnsVU0)

segunda-feira, 17 de maio de 2010

17/05 - Dia Internacional de Luta contra a Homofobia

dia-internacional-de-luta-contra-a-homofobia



Ter um blog e mostrar a sua foto e a sua vida, de forma militante, sem medos e receios, já é um grande passo na luta contra a homofobia. E, mesmo sendo uma atitude simples (das muitas que temos que tomar na vida real), pouca gente tem coragem de fazer isso... mas os tempos estão mudando... e as pessoas também...

Um salve para o Dia Internacional de Luta contra a Homofobia. Que, infelizmente, são todos os dias...

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Trio na 14ª Parada LGBT de São Paulo incentiva Jacareí

paradagay-jacarei

Jacareí, cidade vizinha e três vezes menor que São José dos Campos, vai realizar sua primeira Parada LGBT. Será a primeira a ocorrer na região do Vale do Paraíba, Litoral Norte e Serra da Mantiqueira. Para incentivar a iniciativa, a APOGLBT vai dedicar um trio elétrico aos militantes jacareienses na 14a. Parada do Orgulho LGBT de São Paulo. O objetivo é estimular a realização de novas paradas pelo país.

“Queremos incentivar que todas as cidades brasileiras façam a sua primeira parada”, explica Manoel Zanini, coordenador geral do 14o. Mês do Orgulho LGBT de São Paulo. Segundo ele, para o próximo ano, as cidades iniciantes de todo o Brasil poderão se inscrever para o trio de homenagem.

Em 2010, já são mais de cem paradas agendadas, sendo que Jacareí representará a nervosa primeira vez de cidades tão diferentes quanto Governador Valadares (MG), Vitória da Conquista (BA), Macaíba (RN), Magé (RJ), Rio Branco (AC), Mosqueiro (PA), Rio Verde (GO), Casimiro de Abreu (RJ), São Pedro da Aldeia (RJ) e Arraial do Cabo (RJ).

Poder da visibilidade


Luiz André Moresi, presidente da Ong Revida, achou “fantástico” o estímulo da APOGLBT, pela oportunidade de divulgação a um grande público da iniciativa de Jacareí, e, assim, estimular outras cidades a organizarem a sua parada.
“Resolvemos fazer a parada, porque consideramos fundamental para dar visibilidade ao movimento e lutar por direitos na cidade”, justifica Moresi, que se orgulha de poder dar o exemplo para outras cidades da região como a rica e “sem parada” São José dos Campos. Os joseenses vão se deslocar para a pequena vizinha no dia 27 de junho.

Ele conta, também, que Jacareí está crescendo e tem ambições cosmopolitas. Por isso, a parada vai provocar os moradores com o tema: “Jacareí contra a homofobia: cidade moderna é cidade sem preconceito”.

Jacareí é parte do conhecido “eixo religioso” paulista, que inclui cidades como Aparecida e Guaratinguetá, mas a parada terá o apoio institucional da Prefeitura com eventos culturais, infraestrutura e segurança. Jacareí, com seus pouco mais de 200 mil habitantes, espera reunir dez mil participantes, com um trio, drag queens e casas noturnas, além de realizar diversas atividades diferentes durante uma semana, como debates e exibição de filmes.

Contatos para entrevista:

Leandro Rodrigues,
Assessor de imprensa APOGLBT:
leandrorodrigues@paradasp.org.br
(11) 9790-8538

Manoel Zanini,
Coordenador geral do 14º Mês do Orgulho LGBT de São Paulo:
(11) 3362-8266

Luiz André Moresi,
Presidente da ONG Revida:
revida.org
(12) 9757-0686
(12) 3354-9800

10ª Feira Cultural LGBT recebe inscrições de expositores em São Paulo!

feiraculturalglbt-paradasp

Estão abertas as inscrições para expositores interessados em participar da 10ª edição da Feira Cultural LGBT – atividade integrante do 14º Mês do Orgulho LGBT de São Paulo – que ocorre em 03 de junho no Vale do Anhangabaú. São, ao todo, 73 tendas disponíveis para venda de produtos dos mais variados segmentos e o cadastro segue até o dia 23 de maio.

Neste ano, a Feira Cultural abre oficialmente a programação do Mês do Orgulho LGBT de São Paulo, que se estende até o dia 28 de junho. Dentre as diversas atrações que a Feira abriga estão as tendas de comércio, sendo 20 de alimentação e 53 de produtos em geral, como moda, assessórios, perfumes, artes plásticas, decoração, literatura, CDs e DVDs, artigos esotéricos etc.

Expositores e comerciantes interessados devem entrar em contato com Débora Carraro pelo e-mail feiraculturallgbt@yahoo.com.br ou pelos telefones (11) 7143-6041 e (11) 6505-3244 até o dia 23 de maio.

Sobre a Feira Cultural LGBT

Há 10 anos, tradicionalmente a Feira Cultural LGBT antecede a Parada do Orgulho recebendo cerca de 200 mil pessoas, oferecendo informação e entretenimento gratuitamente.

Além das tendas de comercio, ONGs e entidades de cunho social também estão representadas, prestando serviços e apresentando seus trabalhos. Há ainda tendas especiais onde são oferecidas oficinas culturais, de prevenção, cidadania e direitos.

Ocupando toda a extensão do Vale do Anhangabaú, neste ano a Feira conta com um grande palco – para apresentações de música, performances e artistas da cena LGBT – e uma pista coberta onde os principais DJs da noite de São Paulo se revezam nas pickups.

A 10ª Feira Cultural LGBT ocorre em 03 de junho (feriado de Corpus Christie), das 10h às 22h. Para conferir a programação completa do 14º Mês do Orgulho LGBT de São Paulo, cujo tema é “Vote contra a homofobia: defenda a cidadania!”, acesse o site www.paradasp.org.br.

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Gays jovens e a matéria da revista Veja

revistaveja-Ser-jovem-e-gay-A-vida-sem-dramasPelo jeito já virei referência quando o assunto é "saída do armário" e suas derivações. Quando a matéria da Veja saiu "Ser jovem e gay - A vida sem dramas" (leia aqui) meu twitter lotou de mensagens citando @fabricioviana para que eu desse uma lida.

Antes, eu tinha lido uma nota do blog do André Fischer (leia aqui) e também um artigo do Marcelo Hailer (leia aqui)  algumas críticas sobre a matéria. Concordo com os dois em algumas partes. Afinal, também achei a matéria super positiva mas um pouco distante da realidade de grande maioria! Quando estudantes (geralmente de jornalismo) entram em contato comigo o assunto deles, antes mesmo de eu falar algo, sempre gira em torno do tema: "o preconceito não mais existe", "hoje está todo mundo se assumindo", "as coisas estão bem melhores do que antes", "o mundo é outro", e bla bla bla. Até eu me assusto. A impressão que dá é a de que, mesmo jornalistas formados e trabalhando em conhecidos veículos, quando aparece a pauta sobre a homossexualidade, eles começam a visitar vários sites, blogs e matérias na Internet, pegam um coisa aqui, outra ali e pronto: A VIDA É BELA E MARAVILHOSA! Todo mundo se assumindo, todo mundo mostrando a cara e por ai vai. Como o Hailer disse no texto dele, um adolescente de 14 anos se matou durante uma das matérias do Profissão Repórter no ano passado. Ele era gay e afeminado.

O que eu sempre digo é que as coisas mudaram mas não estão nem próximos do ideal. E por isso que os jovens não estão nem ai para a militância na parada gay, eles não tem nem ideia - e nem conhecimento intelectual - da sociedade como um todo. Como um antigo artigo do Gui Tronolone, a parada gay traz milhões a rua. Mas são milhões de "alienados" como a maioria da população. Logo, a matéria da Silvia Rogar e do Marcelo Bortoloti esta ótima em termos de visibilidade e positivismo (e é raro encontrarmos matérias assim, "positivas"). Mas isso ocorre a uma parcela pequena da população (e, geralmente, em grandes metrópoles).  Tanto que, dos 1.000 livros vendidos pelo site www.oarmario.com (meu livro sobre a homossexualidade e "saída do armário"), eu me recordo de apenas de dois ou três comentários positivos deixados no formulário de pedido. A maioria, esmagadora, eram de histórias sobre os dramas da vida homossexual! E de situações "dentro do armário".

Alias, eu achava que todos que lessem meu livro iriam optar por uma vida mais "liberta", se assumindo e vivendo 100% seus desejos e aspirações pessoais (lá eu não digo para se assumir ou não, mas mostro o "melhor caminho" com seus espinhos e flores). Mas nem assim esse lance de se assumir acontece com todos! E, claro, tem explicação: como eu disse a um paciente na época da faculdade (hoje eu não tenho consultório, trabalho na área de TI), não adianta nada você ter conhecimento intelectualizado sobre a neurose, conflitos internos, etc, pois SÓ isso não resolve! O lance é EMOCIONAL. Você com você mesmo! Um nó afetivo, por exemplo, só será desfeito após uma explosão emocional repentina e espontânea. Ou você consegue isso sozinho (praticamente impossível) ou com a ajuda de um terapeuta (por isso eles existem!).

Então, mais uma vez, o lance de se assumir relatado na revista Veja é ótimo mas esta bem distante da realidade de muitos! Suspeito, inclusive, que os personagens foram escolhidos a dedo. Mas enfim, vou ficar apenas com a imagem positiva que a matéria nos mostra. Mesmo porque, e me lembrei agora, daquele pai que deu uma arma para o filho (na Bahia) e disse: ou você vira homem, ou você se mata!

Sim, ainda temos muuuuuuuuuuuuito disso. Infelizmente.

Abs,
Fabrício

Ps: aproveitando o post e a referência do assunto (risos), coloquei - finalmente - os vídeos dos programas de TV (Ana Maria Braga, Mulheres Dez, Fantástico, Manhã Gazeta, etc) que fui falar sobre a homossexualidade e saida do armário no meu site pessoal, o link direto da página de vídeos é: http://fabricioviana.com/videos/

segunda-feira, 3 de maio de 2010

1ª MARCHA NACIONAL CONTRA A HOMOFOBIA

marcha-contra-preconceito-lgbt


A Direção da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais -ABGLT, reunida em 02 de março de 2010, resolveu convocar todas as pessoas ativistas de suas 237 organizações afiliadas, assim como organizações e pessoas aliadas, para a I Marcha Nacional contra a Homofobia, vinda de todas as 27 unidades da federação, tendo como destino a cidade de Brasília.

No dia 19 de maio de 2010, será realizado o 1º Grito Nacional pela Cidadania LGBT e Contra a Homofobia, com concentração às 9 Horas, no gramado da Esplanada dos Ministérios, em frente à Catedral metropolitana de Brasília.

Em 17 de maio é comemorado em todo o mundo o Dia Mundial contra a Homofobia (ódio, agressão, violência contra Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais – LGBT). A data é uma vitória do Movimento que conseguiu retirar a homossexualidade da classificação internacional de doenças da Organização Mundial de Saúde, em 17 de maio de 1990.

No Brasil, todos os dias, 20 milhões de brasileiras e brasileiros assumidamente lésbicas, gays, bissexuais, travestis ou transexuais -LGBT têm violados os seus direitos humanos, civis , econômicos, sociais e políticos. “Religiosos” fundamentalistas, utilizam-se dos Meios de Comunicação públicos, das Câmaras Municipais, Assembleias Legislativas, Câmara Federal e Senado para pregar o ódio aos cidadãos e cidadãs LGBT e impedir que o artigo 5º da Constituição federal (“todos são iguais perante a lei") seja estendido aos milhões de LGBT do Brasil.

Sem nenhum respeito ao Estado Laico, os fundamentalistas religiosos utilizam-se de recursos e espaços públicos (escolas, unidades de saúde, secretarias de governo, praças e avenidas públicas, auditórios do legislativo, executivo e judiciário) para humilhar, atacar, e pregar todo seu ódio contra cidadãos e cidadãs LGBT.

Participe!

1ª MARCHA NACIONAL CONTRA A HOMFOBIA
Data: 19 de maio de 2010
Horário: às 9 Horas
Local: no gramado da Esplanada dos Ministérios, em frente à Catedral metropolitana de Brasília.