segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Banda Redonda ou Banda do Redondo, é carnaval, história e diversão! 16/02/09

A mais antiga e tradicional banda carnavalesca da cidade de São Paulo nasceu com o nome de Bandalha, criada no auge da repressão militar pelo dramaturgo e ator Plínio Marcos em 1972, nome que lembrava um bloco de sujos de sua cidade natal, Santos. Plínio gravava a novela Bandeira Dois, no Rio de Janeiro e não aguentava mais as piadas e provocações dos cariocas, dizendo que: bloco de paulista é bloco de concreto armado, que cordão de paulista é cordão de isolamento; e, como se tudo isso, ainda, não bastasse, atormentavam tanto o irrequieto Plínio Marcos, citando Vínicius de Moraes “São Paulo é o túmulo do samba”. Àquela altura a Banda de Ipanema já era famosa, trazendo como musas Leila Diniz e Odete Lara. Injuriado com tantas brincadeiras, Plínio chamou seu colega de teatro, Carlos Costa, o Carlão, que já era frequentador do mundo do samba paulista, mas ganhava a vida no teatro, Carlão foi bilheteiro, contra-regra e ator, atuou no teatro de Arena e também no cinema. Então, Plínio Marcos se autoproclamou presidente da Banda Bandalha e convidou para a vice-presidência o Carlão. Claro que Plínio e Carlão viam na banda uma forma de se expressar, num momento que a censura calava o teatro, jornais e outras manifestações.

Em 1972 e 1973 no auge da ditadura militar, a banda saiu da frente do Teatro de Arena e percorreu o centro, foi sucesso de cara, tendo no primeiro desfile como Porta Estandarte a atriz Etty Frazer e mestre sala o ator Toni Ramos, também contou com ilustres participantes, como a atriz Walderez de Barros, o dramaturgo Gianfrancesco Guarnieri, o ator John Herbert, Pepita e Lolita Rodrigues, os jornalistas Arley Pereira, José Ramos Tinhorão, o ator e artísta plástico Luiz Carlos Parreira, além da turma da “Vagão” e redondeza, entre tantos outros atores, jornalistas e foliões. A Banda durou dois anos, depois de brigas com a prefeitura, Plínio se injuriou e falou que não tinha mais Bandalha, mas seus remanescentes, encabeçados por Carlão, formaram a Banda Redonda, que desfilou pela primeira vez em 74, agora tendo Carlos Costa como presidente e Plínio como vice. Com a inspiração do Artista plástico Luis Carlos Parreira a banda adotou a pomba como símbolo e as cores azul, ouro e branco. Atualmente, os desfiles da banda são acompanhados por cerca de 15 mil pessoas e já entraram no calendário oficial do carnaval de São Paulo. Além disso, ela é filiada à ABASP - Associação de Bandas de Carnaval de São Paulo.

Carlão, o Carlos Costa, Carlão da Vila, Carlão do Boné, quando assumiu a banda em 1974, transformou-se no “General da Banda” de São Paulo (lembrando Black-Out, o “General da Banda” no Brasil): diz um dos foliões: quando o Carlão chega as pessoas cantam... “Chegou o General da Banda...” Sobre o novo nome da banda: Redonda, Carlão conta um pouco da história: “A gente frequentava um bar chamado Redondo. Tinha uma gíria na época que dizia que as pessoas inteligentes tinham a testa redonda. Daí, a partir de algumas sugestões: ARENA, pelo teatro (ora veja, naquela época, o partido da ditadura tinha a sigla de ARENA), Carlos Gomes, Roseevelt (nome de gringo não), Consolação e Vila Buarque, (não são nomes para uma banda). Prevaleceu a idéia da cabeça inteligente: Redonda, ainda sugeriram Banda do Redondo, para tentar obter algum patrocínio do dono do bar, mas aguém lembrou: “o portuga sequer pindurava uma cerveja”. Daí ficou definitivamente “Banda Redonda” mesmo, pela idéia do Parreira, ainda hoje há quem confunda o nome da banda com o nome do bar.

A Banda Redonda homenageia todos os anos personalidades destacadas no meio Cultural e Artístico, como: Etty Fraser, Sérgio Mamberti, Walderez de Barros, Chico de Assis, Emilio Fontana, Drauzio Varella, Esthér Góis, Regina Braga, Renato Consorte, Paulo Goulart, Analy Alvarez, João Acaiabe, Maria Alcina, João Batista de Andrade, Alaíde Costa, Chico Pinheiro, Denis Derkian, além da presença dos homenageados, este ano a Banda lembra os 10 anos sem o dramaturgo e escritor Plínio Marcos, companheiro e fundador da “Redonda”.

Dia 16 de fevereiro de 2009, às 19h – Concentração na frente do Teatro de Arena Eugênio Kusnet (Rua Teodoro Baima, 94). Saindo do teatro de Arena, o desfile percorrerá a Rua da Consolação, seguindo pela Xavier de Toledo, passando pelo Teatro Municipal, Cons. Crispiniano, Av. São João, Ipiranga, Praça de República, cruzando a Av. São Luís. Voltando ao ponto de partida na frente do Teatro de Arena, o desfile da “Redonda se encerra com algumas músicas do verdadeiro carnaval de rua. Apoio: O AUTOR NA PRAÇA. Informações: Carlão (SPTuis) - 2226 0651 ou Teatro de Arena 3256 9463 (com Elias).

Imprensa: Edson Lima – 3746 6938 / 9586 5577 – imprensa@oautornapraca.com.br

Carlos Costa, O General da Banda Redonda, chegou em São Paulo em 1947, aprendeu a história do samba paulista, curtiu e viveu o samba em sua forma mais autêntica. Nesses 32 anos da banda a maior satisfação de Carlão é oferecer a oportunidade para todas as classes e camadas da população curtir o autêntico carnaval, sem qualquer custo, colcando lado a lado todas as diferenças, equacionadas no mais simples momento de alegria.

“A banda Redonda surgiu na época da repressão da ditadura militar e, tem como objetivo trazer para a rua os executivos dos escritórios do centrão da capital paulista para brincar o carnaval com o povo com ou sem fantasia, com ou sem dinheiro”. Afirma Carlos Costa, o conhecido “general da banda” de São Paulo.

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Pré-Carnaval! Banda do Fuxico acontece domingo dia 15/02/09 em São Paulo com Rosi Campos.

Pré-Carnaval: A tradicional Banda do Fuxico vem novamente as ruas de São Paulo tendo desta vez a atriz Rosi Campos (foto abaixo) como rainha. Ela, que já compareceu em vários eventos da comunidade LGBT, se diz uma pessoa super simpatizante dos gays.

[caption id="attachment_525" align="aligncenter" width="333" caption="Rosi Campos - Foto Dilvugação / TV Globo"]Rosi Campos - Foto Dilvugação / TV Globo[/caption]

Sempre fui muito ligada à Comunidade do Arco-íris, até porque isso está também muito ligado à minha profissão e condição de artista, repudiando quaisquer idéias de cunho preconceituoso”, disse ela em entrevista ao site O Fuxico.

Para participar da festa, preste atenção na data e horário:

Serviço:

Banda do Fuxico
Dia: 15 de fevereiro de 2009
Local: Largo do Arouche - São Paulo / SP
Início do evento: 11h (com atrações diversas)
Horário de coroação da rainha da Banda do Fuxico: 17h

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Intolerância religiosa e a exclusão dos homossexuais na sociedade - Campina Grande / Paraíba - Nova Consciência 2009

Intolerância religiosa e a exclusão dos homossexuais na sociedade. Esse é o tema de uma das mesas que vou participar em Campina Grande/Paraíba, no 18º Encontro da Nova Consciência que vai do dia 20 ao dia 24 de Fevereiro/2009.

[caption id="attachment_522" align="aligncenter" width="300" caption="Nova Consciência - Campina Grande"]Nova Consciência - Campina Grande[/caption]

Eu já estive la em 2006 e gostei muito. Antes de ir torci o nariz porque sou ateu fervoroso e o encontro me parecia ser totalmente espiritual. Na verdade ele é. Com uma diferença bacana: lá você encontra uma mistura de tudo, de todas as religiões e espiritualidades. Inclusive com ATEUS, humanistas e por ai vai indo (astrologia, esoterismo, enfim, tudo o que você imaginar). E é justamente nesta diversidade que, durante alguns anos, alguns integrantes da ONG fizeram questão de incluir a HOMOAFETIVIDADE.

Muito bacana. Na primeira vez fiquei 1 ou 2 dias, neste, vou no dia 19 e só volto no dia 25/02. Claro que, além do encontro, das palestras, etc, vou aproveitar e ficar enfurnado dentro do hotel terminando Prometheus. Como ando dizendo pros amigos tenho que terminar neste mês. Ou eu termino ou eu termino (ontem me disseram que eu falo isso todos os meses)(risos). Enfim, quem morar perto de Campina Grande, esta mais do que convidado. A mega programação do evento deve entrar no site daqui a alguns dias. O link é http://novaconsciencia.multiply.com

Só para fechar, para vocês terem idéia de como a homossexualidade é parte integrante do evento e dos debates da Nova Consciência, foi um de seus membros junto com amigos que denunciaram aqueles outdoors/cartazes homofóbicos do Grupo Visão Nacional para a Consciência Cristã (VINACC), lembram da palhaça? Pois é... esse encontro é super do bem!! Novamente fica aqui meu convite!! :-)

Ps: lembrei agora, em 2006 teve um carinha que foi só porque já tinha lido e usado textos meus (artigos) na faculdade... outro, eu conhecia pela Rede Ex-Aequo de Portugual e assim vai indo... alias, conheci muita gente bacana por la...

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Curso Homoafetividade & Família em São Paulo por Paulo Roberto Iotti Vecchiatti - 14/02/2009

Curso Homoafetividade e Família (Casamento Civil, União Estável e Adoção por Casais Homoafetivos à Luz do Ordenamento Jurídico-Constitucional Brasileiro) em São Paulo dia 14/02/2009.

Objetiva: proporcionar noções teóricas e práticas fundamentais para que o profissional do Direito possa dar efetividade ao direito fundamental implícito do casal homoafetivo a consagrar sua união amorosa pelo casamento civil, de ter sua união estável reconhecida juridicamente e de ter seu direito à adoção conjunta igualmente reconhecido.

Destina-se: a estudantes de Direito, bacharéis, advogados, promotores, procuradores, funcionários públicos e magistrados.

Carga horária: 6 horas
Programa:

01. Conceitos básicos
- homossexualidade, homoessência e homoafetividade
- diferenças do homossexual para o transexual e o travesti
- entendimento médico-científico acerca da homossexualidade
- CID 10-1993
- resolução CFP n.o 01/1999

02. Da tese jurídica
- da possibilidade jurídica do casamento civil, da união estável e da adoção conjunta por casais homoafetivos – direitos fundamentais implícitos
- uma questão de isonomia
- uma questão de dignidade
- uma questão de proporcionalidade
- da possibilidade jurídica da adoção por casais homoafetivos
- ausência de prejuízos ao menor – estudos empírico-sociais
- uma questão de isonomia, dignidade e proporcionalidade

03. Da elaboração da petição inicial
- como explicar o tema ao juiz
- sugestão para colocação da tese jurídica

04. Análise da jurisprudência

05. Conclusões

06. Conceitos jurídicos
- princípio da igualdade – aspectos formal e material
- princípio da dignidade da pessoa humana
- princípio da promoção do bem-estar de todos, sem preconceitos
- princípio da laicidade estatal (estado laico).
- direito fundamental à liberdade de consciência
- o princípio instrumental da proporcionalidade
- a nova hermenêutica constitucional
- o pós-positivismo e a eficácia interpretativa dos princípios – hierarquia axiológica (luís roberto barroso)
- da superação do legalismo à força normativa da constituição
- do neoconstitucionalismo e da nova democracia
- teoria constitucional constitucionalmente adequada(canotilho)

Professor:
Paulo Roberto Iotti Vecchiatti
- Advogado
- Especialista em Direito Constitucional pela PUC/SP
- Bacharel em Direito pelo Instituto Presbiteriano Mackenzie/SP
- Autor do livro: Manual da Homoafetividade. Da Possibilidade Jurídica do Casamento Civil, da União Estável e da Adoção por Casais Homoafetivos.
- Autor dos seguintes artigos: Homoafetividade e Família. Casamento Civil, União Estável e Adoção por Casais Homoafetivos à luz da Isonomia e da Dignidade Humana. Uma Resposta a Rafael D’Ávila Barros Pereira ; Tomemos a sério o Princípio do Estado Laico ; Laicidade Estatal tomada a sério ; Da Constitucionalidade e da Conveniência da Lei Maria da Penha ; Constitucionalidade do Projeto de Lei 5003/2001. Uma réplica a Paul Medeiros Krause .

Data:
14/02/2009 (sábado)     Horário:
das 08:30 às 15:30
Local de realização:
Centro de Treinamento: LEX
Av. Paulista, 1.337 - 23º/24º andares (ao lado do Ed. da Fiesp, em frente ao metrô Trianon-Masp)
São Paulo - SP

Informações e inscrições:
São Paulo (Capital): (11) 2158 8620
Outras Regiões: 4003 5151
Se a sua região ainda não é atendida pelo serviço 4000, disque 0xx11 4003 5151
E-mail: cursos@lex.com.br

Vanuzia Oliveira
Supervisora de Cursos Jurídicos
Tel.: 11 2158 8604
Fax: 11 2158 8630
E-mail: vanuzia@lex.com.br

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Revista DOM voltada para o público gay masculino volta às bancas em março!

Revista voltada para o público masculino gay passará a ser editada pela Fractal. Equipe de redação será mantida.

A revista Dom – de outro modo, lançada no início de 2008, volta às bancas no próximo mês de março, publicada por um novo grupo editorial. Até dezembro a revista integrava o portifólio da editora Peixes.

[caption id="attachment_515" align="alignright" width="100" caption="RevistaDom-PublicoGay"]RevistaDom-PublicoGay[/caption]

A mudança será apenas de casa, informa o idealizador e publisher da revista Augusto Lins Soares, que se manterá a frente da publicação. Ele afirma que a publicação manterá o mesmo desenho proposto desde seu primeiro número. “Tivemos apenas um recesso. Neste período a equipe de redação não parou de trabalhar no título”, declara Soares.

A confirmação da transferência do título Dom para a Fractal, mesma editora responsável pela publicação da bem sucedida revista G Magazine, ocorreu na última segunda-feira, 2.  Segundo Augusto, a parceria com o grupo que dirige a Fractal foi uma excelente opção para a continuidade da revista.

A DOM nasceu com uma proposta diferenciada: uma revista de comportamento para o público masculino gay com atitude, estilo e prazer. No seu primeiro ano de vida, top models como André Ziehe, Miro Moreira, David Jensen, Felipe Hulse e Alvaro Jacomossi, além dos atores Rodrigo Hilbert, Cauã Reimond e Malvino Salvador, estamparam a capa e ensaios da revista, que manterá esta mesma fórmula já consagrada pelos seus leitores.

Mais um Projeto Purpurina promovido pelo GPH

Mais um Projeto Purpurina promovido pelo GPH (Grupo de Pais de Homossexuais)! Quando? Domingo, 08/02/2009 às 15h. Avenida Avanhandava, 556 - Bela Vista - São Paulo/SP

projeto_purpurina