terça-feira, 30 de setembro de 2008

Manvendrasinh Gohil Saindo do Armário

Eu sabia que eles nunca me aceitariam por ser quem eu realmente sou, mas também sabia que não podia mais viver uma mentira... Eu queria assumir porque me envolvi com o ativismo e senti que não era correto continuar a viver no armário.

Príncipe Manvendrasinh Gohil

(Manvendrasinh Gohil - Príncipe indiano que assumiu sua homossexualidade)

Capa do portal Armário X ;-)

Mais frases e citações, no menu lateral, Frases & Pensamentos

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Google declara oposição a Proposition 8

Falando sobre o referendo na Califórnia que pretende acabar com o casamento gay:

"Além da intromissão do governo na vida pessoal de cada um, é pelo efeito discriminatório da proposição que a Google publicamente se opõe a ela".

Sergey Brin, um dos fundadores da Google

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

A cura da homossexualidade - Verdade e Mito

Se você está confuso quanto aos seus desejos homossexuais, esta deprimido, se sente sozinho, sem rumo, não sabe o que fazer ou a quem procurar, minha sugestão: leia sobre o tema, procure entender os mecanismos psíquicos de quem já "saiu do armário" e evite grupos, livros ou profissionais que promovam a "cura da homossexualidade", seja por terapia de vidas passadas ou qualquer outro tipo.

[caption id="attachment_34" align="alignright" width="171" caption="A cura da homossexualidade"]A cura da homossexualidade[/caption]

A verdade é que, só se pode "curar" doenças e a homossexualidade não é uma doença. Já foi, sim, no passado, quando a ciência e a religião andavam praticamente juntas e assim, ela foi taxada como uma perversão sexual.

Hoje em dia ela não é e, embora exista um caminho difícil para sua plena aceitação e liberdade de viver os desejos homossexuais, é o caminho mais digno que um ser humano pode escolher e ter em sua vida.

Claro que as decisões são de cada um. Mesmo porque a orientação sexual é mutável. Hoje posso ter atração por pessoas do mesmo sexo e amanha não. Ou posso no início da minha vida ter pelo sexo oposto e já adulto pelo mesmo sexo. Ou ainda passar a vida inteira apenas com uma orientação sexual (pelo mesmo sexo, sexo oposto ou pelos dois sexos). Enfim, não existem regras para o desejo sexual e é isso que precisa ser respeitado. Não se engane lendo livros ou participando de grupos que tentem te tornar "heterossexual" ou mesmo "homossexual". Comportamentos podem sim ser aprendidos, desejos sexuais não!!! Não passe sua vida inteira se enganando. Procure conhecer a si mesmo e a homossexualidade, além do machismo, religião e tudo o que a assombra injustamente.

Em outras palavras, dá para ser gay, assumido e feliz. Dá para ser lésbica, assumida e feliz. Você só precisa de orientação certa. Literatura correta (como por exemplo Devassos no Paraíso, Seis Balas Num Buraco Só, O Armário - meu livro, e tantos outros).

Boa sorte. A caminhada é longa mas vale a persistência. No final, lembre-se, quem decide é você.

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Mito do pai ausente X homossexualidade

Entre as várias coisas absurdas que se escuta por ai, pricipalmente reproduzidas por acadêmicos das mais variadas disciplinas quando estudam a homossexualidade, é que ela é gerada por que o homossexual masculino não teve um pai presente durante toda a sua vida. Isto é, ele não teve um "modelo masculino" para se espelhar e por isso gerou uma identidade masculina fragilizada (quando na verdade o próprio masculino é fragilizado - quem puder leia mais no livro Seis Balas Num Buraco Só, a Crise do Masculino do amigo e escritor João Silvério Trevisan).

[caption id="attachment_40" align="alignright" width="171" caption="Mito do Pai Ausente na Homossexualidade"]Mito do Pai Ausente na Homossexualidade[/caption]

Mas, continuando, essa idéia é embasada também em psicanalistas (antigos, ortodoxos e preconceituosos) que, sem saber exatamente o que estavam estudando, "davam tiro para tudo quanto é lado" para explicar as "origens" da homossexualidade..

E rebater isso é muito fácil. Eu, por exemplo, conheço inúmeros heterossexuais convictos (aqueles que jamais ficariam com um homem, nem para experimentar) e que tiveram um pai ausente durante toda a sua vida e nem por isso se tornaram homossexuais ou tem desejos homossexuais.

Passou da hora da população entender, até mesmo a comunidade científica, que nem todo estudo ou área do conhecimento é correto ou fidedigno frente a realidade do dia-dia. Lembrem-se que, no passado, a masturbação era considerada a causa principal da eplepsia e que livros médicos (escritos para outros médicos) enfatizavam isso.

Portanto minha gente, muito do que se fala da homossexualidade por ai, na maioria das vezes é, realmente, de forma deturpada, esteriotipada e preconceituosa. Até mesmo em estudos. Precisamos sempre ficar de olho, em tudo e em todos.

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

A cultura da baixa auto-estima (homofobia internalizada).

Fabrício Viana, escritor e bacharel em psicologia.Quando me perguntam sobre a saída do armário, conflitos, fatores psicológicos ou dinâmicas psíquicas do "assumir-se gay" eu costumo enfatizar que, por mais difícil que seja aceitar seus desejos e assumir uma identidade homossexual, é necessário também se livrar da homofobia internalizada. Ela é a grande vilã por trás de muitos homossexuais que, sem eles perceberem, ajuda não só a promover uma baixa auto-estima como também a cultura desta baixa auto-estima, transformando o problema individual em algo coletivo, quase comum a todos os homossexuais.

Para quem nunca ouviu falar em homofobia internalizada ela é a introjeção de valores e conceitos negativos da homossexualidade em nosso inconsciente através dos anos. Em outras palavras, desde pequenos nós, homossexuais, escutamos que a homossexualidade é anti-natural, que ela é errada, negativa, condenada por Deus, etc. Estes conceitos ruins ficam gravados em nosso inconsciente ao ponto de, mesmo ao assumirmos nossa plena homossexualidade - para si e para os outros - eles continuam agindo e condenando tais desejos.

E a lógica é simples. Se a homo é errada, eu, por ter tais desejos, também sou. Se ela é um desvio, eu também sou. E a lógica extravasa: se eu sou tudo isso o que ela é, todos os outros homossexuais também são.

Por causa destas associações, que acontecem em nível inconsciente, muitos homossexuais não confiam em si mesmos e se vêem da forma mais negativa possível. Exemplos? Já viu um gay que acha que outros gays não devem demonstrar afeto em público? Já viu um gay dizer que os gays são todos promíscuos? Ou ainda, um gay não se importar pela militância e pela causa gay? Não ler livros para gays ou não freqüentar lugares gays? Embora cada caso seja um caso, muito desta negação tem suas raízes na homofobia internalizada.

E é isso precisa ser evitado. Infelizmente não existe uma receita básica para se livrar dela. O primeiro passo é saber de sua existência. O segundo é começar a se perceber no dia-dia e ver qual sua relação com o assunto. Você vai notar que ela aparece tanto em piadas ingênuas como também em atitudes e comportamentos contra outros homossexuais. Sendo mais comum do que se imagina.

Sim, esta é raiz da cultura da baixo auto-estima. Vamos acabar com ela?
Fabrício Viana

Fabrício Viana é bacharel em Psicologia, gay assumido e autor do livro que fala sobre a homossexualidade (erroneamente citado na mídia de homossexualismo) chamado  "O Armário - Vida e Pensamento do Desejo Proibido" - Site do livro: www.oarmario.com

Homofobia, mordaça e o casamento gay...

Grupo Arco-Iris

O Grupo Arco-Iris, um dos grupos mais ativos do Brasil com relação a defesa dos homossexuais, lançou a campanha NÃO HOMOFOBIA (www.naohomofobia.com.br)cujo objetivo é colher assinaturas online para convencer os senadores da República a votarem a favor da criminalização da homofobia (PLC 122).
Esta questão esta sendo deturpada por religiosos fundamentalistas (evangélicos, cristãos, etc) que confundem a lei (e a população) dizendo se tratar da "lei da mordaça gay". Segundo eles, a partir do momento que a lei for aprovada eles não poderão mais "discriminar" os homossexuais. A situação é tão ridícula que o ditado que diz que "quem não deve, não teme" deve ser reforçado. 

Acredito, e sempre acreditei, que todos tem o direito de concordar ou não com a homossexualidade, agora, discriminar ou tentar derrubar leis que garante os direitos de gays e lésbicas é extremamente ridículo (e anti-humano). É como se quisessem destruir fora o que incomoda dentro. Até quando isso vai acontecer? Precisamos dar um basta e nos mobilizar, todos (até mesmo os heterossexuais), para que atrocidades como esta não aconteçam. Para terem idéia, recentemente o cineasta Steven Spielberg e sua mulher Kate Capshaw doaram quase que 100 mil dólares para uma campanha a favor do casamento gay na Califórnia. A mesma atitude partiu do ator Brad Pitt e sua esposa, doando também 100 mil dólares a campanha pró casamento gay (e contra a Proposta 8).

Então meninos e meninas, temos que nos mobilizar. E a hora é essa!

Blog, site ou portal?

Independente do conceito, este espaço foi criado para trazer informações, notícias, eventos e muita descontração sobre temas ligados direta ou indiretamente a homossexualidade. Seja bem vindo(a)!